sábado, maio 02, 2015

Cheiro de Tinta


Alô você que caiu de pára-quedas em mais um blog qualquer, deixa eu te situar: esse post aqui é sobre loucuras. Quem não tem as suas? Eu inclusive tenho muito orgulho das minhas, porque sempre remetem a sensações. Eu não lembro de todas agora, mas lembro das principais e vou atualizando quando redescobrir outras. É através das loucuras que a gente conhece melhor uma pessoa, né? Então nada desses x fatos sobre mim. Vamos lá pra mais uma daquelas listinhas adoráveis e essa muito mais esquisita:

Eu gosto de cheiro de tinta

Cheiro de tinta. Eu sou muito incompreendida nesse quesito. Toda vez que eu passo por um local com aquele cheiro de tinta fresca eu me sinto feliz fico extasiada. Reparem: a pessoa não gosta simplesmente. Ela tem um súbito de emoção ao sentir aquele cheiro forte que a maioria repele; com cheiro de verniz é assim também. E eu tenho uma explicação que não é científica, mas psicológica. Quando eu era pequena, minha família renovava a pintura das paredes e passava verniz nos móveis perto do Natal. Eu provavelmente devo associar até hoje, lá no meu inconsciente (ou sub, sei lá) o cheiro desses produtos à época mas feliz do ano pra mim.

Eu gosto de barulho do ventilador

Também deve ter um fundamento histórico-psicológico. Eu amo o  fim do ano e tudo que vem junto com ele, incluindo Natal, verão e barulho de ventilador. O barulho do motorzinho me dá uma sensação de liberdade, da quentura gostosa que vem das noites arejadas de verão, do vento noroeste. É só isso e é simplesmente muito doido.

Eu não gosto de açaí

Agora eu exagerei. Detestar algo que todo mundo venera. Como assim você não gosta de açaí? Mas açaí é divino, é saudável, é saboroso, geladinho, etc, etc, etc. Não. Na primeira colherada qualquer vestígio de fome morre. Não dá pra prosseguir com algo tão enjoativo e sem graça. Sem vontade de viver. Ora, se o mundo permite que eu coma pizza, sorvete, chocolate e afins, porque eu vou tomar justamente açaí? A vida é muito curta pra tomar açaí.

Eu vejo bolinhas amarelas quando fecho os olhos

Vou tentar explicar como são as bolinhas que eu vejo. Eu fecho os olhos. Fica tudo preto, certo? Mas a gente não vê. Só tá escuro, a gente não tá olhando pra nada. Mas você já experimentou "olhar" com os olhos fechados, virando os olhos pra um lado, por exemplo? Então. Eu vejo essa bolinhas quando eu tô "olhando" pro nada, com meus olhos fechados. É como se lá, no fundo (que fundo?) surgissem milhares de bolinhas amareladas extremamente minúsculas, caminhando, em fileiras, certamente pro nada também. É isso. Não sei descrever melhor essa minha loucura-mor.

Gosto do barulho do sapato na rua pedregosa

Ok, cheguei num nível que você já deve estar com medo. Eu mesma me pego achando essa minha mania super curiosa. Não é uma mania na verdade, porque eu não procuro sair na rua pra fazer isso. Mas quando isso acontece, e não é lá muito frequente, eu até tiro o fone do ouvido se eu estiver escutando música. É simples. É quando estiou e a calçada ainda está molhada da chuva e tem um pouco de terra e algumas pedrinhas na calçada, provenientes de obra ou ventania. E seu sapato/bota vai lá e pisa. E a rua tá vazia e você só escuta isso. Aquele som é inigualável. Sei lá, parece que você está dentro de uma série dramática na qual você é o protagonista pensativo, pensando qual melhor rumo da vida tomar. Se tocar Beatles ao fundo, numa casinha por perto, é melhor ainda, vai por mim. Melhor-viagem-na-maionese-da-vida.

Um comentário:

  1. Também AMO cheiro de tinta! <3 (não sei exatamente por que!), mas amo açaí! =/

    Seu blog é uma fofura, tô lendo todo os textos, me identificando com a maioria... Juro que voltarei mais vezes, tá? Aparece também!

    Beijão!

    ResponderExcluir