sábado, maio 28, 2016

As tendências viciantes e já exaustantes de 2016

O básico hoje é puro status: tem que ser Nike, adidas... 
A Carol Burgo explanou muito bem sobre essa "nuvem" que permeia a indústria da moda e acaba influenciando o estilo de muitas pessoas por um determinado período de tempo. Admiro quem rema contra a maré, mas confesso que sou adepta do grupo que segue o fluxo fashion, salvo - graças a Deus - algumas exceções. E é aqui que vou pontuar algumas dessas tendências que nos "pegaram" agora em 2016. 


Na moda 

 O normcore parecia que não ia pegar, ao menos na nomenclatura. Nunca o básico foi tão moda a olhos vistos. Listras (!), tênis, e jeans (principalmente o de lavagem mais clara) e muito, mas muuuito p&b, são tendências declaradas pelas mais fashionistas. Ah que bom né? Já que é básico não pesa o bolso... #SÓQUENÃO
Suede, jeans e listras em massa





Hoje, uma blusica branca de listras azuis em uma fast fashion não sai por menos de sessenta reais. o básico ficou caríssimo. Os vestidos midi invadiram as ruas (principalmente os listrados combinados a suede camelo e tênis branco) com jaquetas amarradas na cintura à la anos 90. E toda garota então anda muito repetidinha, até outra moda voltar, como o decote ciganinha, por exemplo (que eu adoro!)

A malha canelada também ganhou status, junto com a gola alta - que até pouco tempo atrás era totalmente preterida. Essa moda é curiosa, né?



No lifestyle

Duas fortes correntes nos atingiram em cheio: o minimalismo e o paisagismo.

O "menos é mais" virou mantra e agora tudo que é branco, metido à escandinavo, neutro, nenhum pouco poluído visualmente, é o que enche os olhos. Até quando esse nadismo irá vingar?

Se existe um toque de cor em meio a esse minimalismo todo, é no paisagismo, onde cactos e suculentas dominaram o mundo da decoração. Os cactos, diga-se de passagem, dominaram o mundo em si, estampando peças de roupa, cadernos, móveis e servindo de temas para joias, wallpapers e afins. Pra minha alegria! (Que vislumbrou toda esse lindeza cactual de cenário antes de sequer ser pensada por aqui - me achando a coolhunter)



No design

E os feeds do Instagram? O aplicativo segue firme e forte como um dos queridinhos da atualidade, e, diferentemente do Facebook e redes sociais afins, ele está despontando cada vez mais. O motivo? Meu palpite é que ele é fácil de se reinventar. Seus próprios usuários estão o transformando numa ferramenta atrelada ao design, criando "feeds" cleans ou com uma temática visual, tornando-o mais atrativo como um todo. Ou seja, aquele app que você alimentava com suas fotos com amigos, passeios, festas e tudo de interessante que acontece na sua vida, esquece. Agora essa vitrine se tornou muito mais conceitual do que um álbum digital onde você exibe sua interessância. Agora você exibe seu olhar artístico - ou pelo menos tenta. O problema é que o olhar também anda se repetindo e os feeds estão cada vez mais parecidos uns com os outros. Hello! Nem todo mundo é fotógrafo, nem todo mundo é poeta!

Tô fora

Tem moda conceitual que não dá pra carregar. É fashionista demais pro meu gosto e nenhum pouco prática no dia a dia. Ficar arrastando maxi camisetas e long lines que mais parecem vestidos com fendas inadmissíveis - ainda mais quando combinadas com partes de baixo grossas ou nenhum pouco coerentes - saia longa? Oi? Ainda bem que eu não curto tudo.



E o futuro?

Meu palpite é de que a moda básica vai sim perdurar mais um pouquinho, com algumas leves novidades. Uma delas é a estampa grid, que eu ainda não vi forte por aqui, mas pode vir a ser outra tendência exaustiva para os próximos meses. E sim, eu torço pra isso! Ela é linda demais e combina com tudo. É por isso que amo as tendências atuais. Elas nos permitem combinar com nossas peças mais antigas, são super usáveis no dia a dia e ainda nos deixam com uma pinta de estilosas e chiques de forma fácil :)

Nenhum comentário:

Postar um comentário